• PT
  • EN
  • FR

Cabo Verde está a receber desde hoje até o dia 26 deste mês, a visita de uma das responsável da Fundação Internacional Olympafrica, Coumba Marieme Ly, com o objetivo conhecer as condições técnicas, para que o nosso país possa acolher um dos projetos de construção de instalações desportivas com fins também sociais.

A Fundação Internacional Olympafrica, sediada em Dakar, é uma organização que tem como objetivo a disseminação dos valores olímpicos no continente africano, e que tem feito um trabalho de fundo em vários países da África, usando o desporto como fator de desenvolvimento social ao criar centros desportivos de inclusão, em áreas rurais. Tem parceiros de relevo como a Fundação F. C. Barcelona, FILA, IAAF, entre outros.

Em cada quatro anos a fundação abre candidaturas para a criação de centros Olympafrica, e Cabo Verde foi um dos candidatos selecionados, previamente, para a construção da referida infraestrutura, sendo que Santa Cruz foi a localidade, selecionada pela organização, para receber esta visita.

Nesta linha a visita técnica arrancou, esta segunda-feira, na sede do Comité Olímpico Cabo-verdiano, e mais tarde ao Comité Paralímpico.

Amnhã (25) a responsável terá um dia cheio de contactos, que vai iniciar pela receção pelo Ministro dos Desportos, Fernando Elísio Freire, pelas 08:00 horas, passando depois para a Direção-Geral dos Desportos e o Centro de Medicina desportiva, ambos últimos no Gimno Desportivo e por final ao Estádio Nacional.

No último dia (26) Santa Cruz será o ponto de visita, onde a responsável terá contactos com a edilidade local para conhecer as condições que o município oferece para a construção da infraestrutura que deverá conter uma pista de atletismo, um campo de futebol, uma biblioteca com centro de estudo, uma placa multidesportiva e edifícios de apoio.

Para fazer a candidatura de Cabo Verde a este projeto o Comité Olímpico esteve em contato com Camaras Municipais nas áreas rurais de todo o país, que se dispuseram a elaborar um plano para o acolher. Três candidaturas foram entregues, sendo que apenas uma foi pré-selecionada pela Fundação Internacional Olympafrica, no sentido da implementação do centro.

Os centros Olympafrica usam a questão desportiva para promover a inclusão de jovens e crianças em situação de risco, buscando novas alternativas vários males sociais como as drogas, delinquência e o desemprego. Todo o trabalho é feito numa rede de centros em toda a África.

 

O Comité Olímpico Cabo-verdiano (COC) começa, a partir da próxima semana, 24 de Abril, a executar o projeto M-Olympics, que tem como propósito estimular e promover a equidade de género no desporto em Cabo Verde. O workshop piloto do projeto vai decorrer no Tarrafal de Santiago, mas promete paragem em todas as ilhas do país.

Este projeto surge na sequência do Fórum Mulher e Desporto realizado em 25 de Março deste ano, e em continuidade com o projecto “Verdeolympics”, pré-escolhido pelo Comité Olímpico Internacional como exemplo para os outros Comités Olímpicos do mundo, pela utilização do desporto como ferramenta para a preservação ambiental, ao usar materiais reciclados como equipamentos na realização de eventos desportivos.

Seguindo esta linha, um workshop com duração de cinco dias será realizado em todas as ilhas habitadas do país, seguido de um evento desportivo com várias modalidades desportivas em um só local, organizado pelos formandos do projeto.
Várias temáticas estão em agenda para a discussão nestes workshops que vão desde o olimpismo, os benefícios do desporto, a criação de projetos desportivos, até a participação feminina no desporto.

Para a realização deste projeto financiado pela Solidariedade Olímpica, o Comité Olímpico realizou no último mês um workshop sobre a “Liderança feminina no desporto”, onde foram ministradas técnicas de empoderamento de mulheres, para concorrerem a cargos de liderança no sector desportivo, e que também servirão de pontos focais para concretização do projeto e assim promover a equidade de género no Desporto em Cabo Verde.

Para participar dos workshops e dos eventos basta contactar a responsável pelo projeto, Ivete Rosa, pelo nº 5200701 ou por e-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.. As inscrições são limitadas.

Cabo Verde recebeu, no final da semana transata, a confirmação de três Wildcards (convites), para fazer a sua participação nos Jogos Olímpicos da Juventude, Buenos Aires2018, que acontecem de 1 a 12 de outubro na Argentina, reunindo atletas entre os 15 e 18 anos de idade, de 206 países, em 31 modalidades.

As modalidades convidadas são o Atletismo e o Taekwondo, e os três atletas cabo-verdianos que já têm a sua participação garantida são, Marcelo Gomes velocista nos 100 metros da ilha do Sal, Magda Moreira, especialista em 3000 metros, natural de Santiago Norte e Nicalas Fernandes atleta de Taekwondo na categoria -55 kg, e residente nos Estados Unidos.

Contudo como em qualquer Jogos Olímpicos haverá a fase de qualificação, pelo que Cabo Verde poderá até 2018 ter mais atletas com qualificação por mérito.

Os Jogos Olímpicos da Juventude são um evento internacional multi-desportivo, cuja primeira edição foi realizada em Singapura entre 14 e 26 de agosto de 2010.

Os Jogos são realizados a cada quatro anos entre edições da mesma estação (Verão ou Inverno), tal como sucede com o atual formato dos Jogos Olímpicos. A idade dos participantes está limitada, sendo que os atletas só podem ter entre 15 e 18 anos.

 

Cabo Verde irá receber, no dia 29 deste mês, a segunda edição do Fórum de Atletas, com lugar na Escola de Hotelaria e Turismo, a partir das 09:00 horas, com o intuito de capacitar os atletas para a questão da Promoção e do Marketing da sua carreira desportiva, usando uma das ferramentas mais atuais, ou seja as redes sociais.

A primeira edição deste fórum, que aconteceu em novembro de 2016, na sede da Federação Cabo-verdiana de Futebol, levou atletas e agentes desportivos de todas as ilhas do país a compreender de que forma colocar os conhecimentos adquiridos a nível desportivo, a favor das suas competências no mercado de trabalho.

Nesta edição três formadoras estarão a frente deste fórum, que traz outra vez as duas ex-atletas olímpicas Kady Kanouté e Susana Feitor ao país, acompanhadas pela alemã Cláudia Bokel.

Este fórum surge preocupação do Comité Olímpico Internacional, em fazer com que os atletas consigam tirar o máximo de proveito possível, da sua careira no mundo das competições, atraindo investimentos para as suas atividades competitivas.

O evento acontece durante todo o dia, das 09:00 às 17:00 horas, e as inscrições são limitadas, encontrando-se abertas através do link http://2forumatletas.coc.cv/.

A Federação Italiana de Esgrima entregou, esta manhã, de materiais desportivos de Esgrima às Forças Armadas de Cabo Verde, na sede a instituição com o intuito de encorajar o desenvolvimento da disciplina desportiva em Cabo Verde.

O ato contou com a presença do Ministro da Defesa, Luís Filipe Tavares, que desafiou as Forças Armadas, depois da entrega, para que se realize muito em breve um torneio de Esgrima, no seio militar, com vista a servir de espelho a todos os jovens e toda a sociedade cabo-verdiana, no intuito de enraizar a modalidade no país.

O mesmo elogiou o trabalho desenvolvido pelo Comité Olímpico Cabo-verdiano em encorajar a prática de novas modalidades Olímpicas em Cabo Verde, e mostrou total apoio do seu gabinete para o desenvolvimento da Esgrima no arquipélago, através das Forças Armadas.

Por sua vez o Chefe do Estado Maior das Forças Armadas, MG Anildo Morais, mostrou se agradecido pela doação destes materiais desportivos e prometeu introduzir a modalidade o mais rápido possível entre os militares.

O Presidente da Federação de Esgrima, Giorgio Scarasio, falou da importância desta cooperação e deixou saber também da abertura para acolher futuros monitores para formação na Itália.

Ontem o Presidente esteve de visita ao Estádio Nacional, em Monte Vaca, onde recebeu a expetativa dos responsáveis em sediar a primeira escola de esgrima do país.

Esta doação de materiais surgiu de vários contactos que esta Federação italiana fez com o Comité Olímpico Cabo-verdiano, através da Associação de Amizade Itália Cabo Verde, a Kriolitá.

A Esgrima é uma modalidade que surgiu genuinamente do seio militar e por este motivo a escolha das Forças Armadas para impulsionar a modalidade no país.