• PT
  • EN
  • FR
O Comité Olímpico Cabo-verdiano (COC) está a realizar de 27 a 29 de Março, na Escola de Hotelaria e Turismo, um workshop designado ao tema da "Liderança Feminina no Desporto", que conta com a participação de representantes de todas as ilhas do país, e da Zona II africana. A sessão de abertura do evento contou com a presença da representante do Comité Olímpico Internacional, Dominique Niyonizigiye, e do Primeiro-ministro Dr. Ulisses Correia e Silva.
 
O workshop comandado pela especialista internacional em "coaching" Gabriela Mendonza-Müller, tem como propósito o empoderamento de mulheres para assegurar cargos de liderança no setor desportivo.
 
Durante o ato de abertura a Presidente do COC, Filomena Fortes, mostrou grande satisfação por conseguir trazer esse workshop para Cabo Verde, onde o caso de liderança feminina no Desporto está ainda aquém das expectativas, onde apenas uma mulher lidera uma federação nacional, por exemplo.
 
Por sua vez o Primeiro-ministro, Ulisses Correia Silva, ressalvou a importância de trabalhar para a equidade no setor desportivo em Cabo Verde, ressalvando que, "nós teremos brevemente o Conselho Nacional do Desporto, onde algumas medidas de políticas públicas vão ser definidas para permitir uma maior participação das mulheres na liderança das federações e das associações, ou seja, vamos introduzir estímulos que façam com que a utilidade desportiva seja também condicionado a determinados propósitos, para promover a liderança feminina".
 
A questão da liderança feminina no desporto é uma preocupação do COI em todo o mundo é desta forma a representante da maior organização desportiva do mundo felicitou Cabo Verde pelo interesse em empoderar mulheres para que haja uma equidade no mundo desportivo.
 
Quanto à Comissão Mulher e Desporto do Comité Olímpico, a Presidente Cristina Ferreira deixou claro a vontade de trabalhar na promoção da equidade no Desporto e vê este evento como uma parte prática, para ter mulheres com capacidades de liderar organizações desportivas, bem como projetos no setor.
 
Para a Presidente da comissão o facto de ainda não haver muitas mulheres em cargos desportivos de liderança, não está apenas na formação mas em fatores como " questões culturais, de descriminação de estereótipos, portanto um conjunto de fatores importantes, e é preciso não só formar para termos líderes mas, empoderá-las para que queiram assumir este estes cargos.
 
Porquanto o workshop de Liderança Feminina no Desporto, continua durante os três dias na cidade da Praia empoderando mulheres para que consigam chegar a cargos de chefias nas organizações desportivas.
 

 

O atleta Olímpico cabo-verdiano, Ruben Sança, que representou Cabo Verde nos Jogos Olímpicos de Londres 2012, ganhou no último domingo a medalha de prata na 40ª edição da New Bedford Half Marathon, com lugar nos Estados Unidos, país onde reside.

Ruben Sança já tinha ganho esta prova em 2011 e 2015, e este ano mesmo com o segundo lugar o sentimento foi de dever cumprido, muito devido às condições climatéricas do dia, onde o vento e o frio reinavam.

Durante a maior parte da corrida Ruben esteve lado a lado com o vencedor da prova, mas nas duas últimas milhas ficou para trás, e acabou por terminar a prova com tempo de 1:06:54segundos, 30 a mais do que o vencedor Louis Serafini que fez 1:06:27segundos.

Ruben Sança é um dos maratonistas cabo-verdianos, que tem feito belas participações em provas internacionais, respresentado o arquipélago.

Foto: Mike Giberti -https://www.facebook.com/mike.giberti.7/media_set?set=a.10158326711620024.1073741868.770220023&type=3&pnref=story

Três atletas da ilha de São Vicente e uma da cidade da Praia participam na Taça Presidente no Senegal, que decore este fim-de-semana na capital, Dakar, sob o comando do treinador Joseph Pina. .

Os atletas Manuel Monteiro -58 kg, Kevin Tavares -58kg, Lenine Soares -80kg e Ingride Carvalho -67 kg júnior, competem todos neste sábado, e estão confiantes numa boa participação. Cabo Verde ainda participa com o árbitro, Silvino de Pina.

Em conversa o treinador Joseph Pina assegurou que é um torneio com um bom nível, e apostou-se na participação de atletas residentes para que ganhem experiências em competições internacionais.

O torneio reune países de todos os continentes no estádio de Marius Ndiaye.

Foto: Balla Dieye

“Ganhei uma grande experiência como atleta nesta competição”, garantiu a atleta Ingrid Carvalho que acaba de regressar do Senegal, com os troféus de primeiro lugar e melhor atleta da categoria júnior no “Open Internacional de Dakar”.

A atleta competiu contra o Mali e o Senegal derrotando a ambas com um score de 6-2 e 6-5, visitou, nesta tarde de quarta-feira, o Comité Olímpico Cabo-verdiano, para mostrar os troféus ganhos na competição.

Ingrid Carvalho inaugurou com chave de ouro a sua saída para competições internacionais, assinala que foi difícil chegar a este resultado, principalmente por ter sido a última cabo-verdiana a competir, quando todos os outros atletas já haviam perdido em seus combates.

“Foi difícil, quando vai-se para uma competição vai-se para vencer, mas eu não acreditava na vitória do torneio, principalmente quando todos já haviam perdido e eu era a última, mas consegui”, afirma.

Além de vencer a atleta diz ter ganho muito em técnica nesta competição, e o treinador Silvino de Pina que também acompanhou a delegação como árbitro, junto com o Mestre Joseph Pina, garantiu que apesar de ser no tatami onde se pensa ganhar mais experiência, foi como expetador que Ingrid deve ter adquirido as melhores perspetivas da competição, o que contribui para a sua formação com atleta.

À margem da competição Silvino de Pina realça que a aposta que se fez em levar atletas nacionais mostra cada vez mais as potencialidades, apesar das poucas condições de treino e de formação dos treinadores e técnicos.

No entanto as competições de Ingrid Carvalho ainda estão apenas a começar, tendo em vista para muito em breve um Open nas ilhas Canárias, que entretanto ainda não está confirmada por questões de apoio financeiro.

A escola de línguas Poylglot celebra, no próximo dia 18, em parceria com o Comité Olímpico Cabo-Verdiano e o Espaço Aberto Safende, o seu terceiro aniversário, com uma edição do programa “Desporto para a vida”, que irá decorrer no estádio relvado da comunidade de Safende, a partir das 09 horas deste sábado.

Este evento que terá o nome de “Caça ao Tesouro” irá reunir crianças da localidade que frequentam aulas de línguas no espaço aberto e da escola local, com o propósito de praticar várias modalidades desportivas em um só espaço, aliadas ao ensino da língua e das culturas estrangeiras.

Neste evento cujas modalidades desportivas serão explicadas na língua inglesa e francesa, pretende-se também criar nas crianças da localidade uma consciencialização dos seus direitos e deveres, e como aplicá-las no seu dia, com os diversos jogos que serão desenvolvidos.

Lembre-se que o programa “Desporto para a Vida” é um projeto da organização desportiva Internacional SportImpact, que em parceria com o Comité Olímpico Cabo-verdiano levou o desporto e a preservação ambiental às ilhas habitadas do país, em 2016, no âmbito do projeto VerdeOlympics, que foi pré escolhido pelo Comité Olímpico Internacional como exemplo a outros países do mundo, no que tange à colocação do desporto ao serviço do ambiente.