• PT
  • EN
  • FR

Jordin Andrade é um dos muitos filhos de cabo-verdianos que nasceram nos Estados Unidos, mas tem um sonho que é de chegar ao Rio 2016 com a bandeira de Cabo Verde às costas.

Sobrinho de Henry Andrade um dos primeiros atletas de origem cabo-verdiana a chegar aos Jogos Olímpicos de Verão de 1996, e filho de Joseph Andrade, bicampeão do Estado de Califórnia em , Jordin tem nas veias o sangue do atletismo.

Uma paixão que teve reforço nos estudos secundários, com as competições escolares, fez de Jordin um dos melhores do mundo já que ocupa a posição 13 no ranking mundial e 5º americano, na categoria de 400 metros barreiras.

A proeza foi conseguida nos Jogos escolares denominados NCAA, onde consagrou-se vice campeão dos Estados Unidos em 400 metros barreiras, no passado mês de julho. Jordin é ainda recordista da sua universidade com o tempo de 49,24 segundos, e por tudo isto conquistou o estatuto de “All Amercan Honor”.

Depois da sua explosão como atleta nesta competição Jordin sonha agora em chegar ao Rio2016 e sentir a experiencia do tio, mas desta vez com a bandeira cabo-verdiana às costas.

Jordin diz que tem uma grande paixão por Cabo Verde que é “um país pequeno mas que sonha grande”.

Para chegar ao Rio, Jodin tem que correr atrás para conseguir os mínimos na sua categoria, o que não está longe de acontecer, que é de 45,40 segundos.

Fonte: Onda Kriolu

Presidente do Comité Olímpico cabo-verdiano recebe presidente da Associação de xadrez do Sal

A Presidente do Comité Olímpico cabo-verdiano (COC), Filomena Fortes recebeu, esta sexta-feira, 16, na sede do COC, o presidente da Associação de xadrez na ilha do Sal, Sidney Spínola, que trouxe na bagagem a perspetiva da criação da Federação Cabo-verdiana de Xadrez.

A breve visita do presidente serviu também para apresentar o plano de atividades que a Associação de xadrez tem desenvolvido ao longo do ano, e os projetos em carteira para os próximos tempos.

O Xadrez tem ganhado alguma expressão nos últimos tempos no em Cabo Verde com competições internacionais, que já envolveram vários experts principalmente de Portugal.

O Comité Olímpico Cabo-verdiano tem estado sensibilizado com as questões das atividades desportivas no país, e a Presidente Filomena Fortes assentou, no ato da visita, o seu apoio para a criação tanto da federação, como de atividades assegurados a valores positivos.

Os atletas paralimpicos internacionais cabo-verdianos Gracelino Barbosa e Márcio Fernandes partem no próximo dia 16 de Outubro para Doha, Qatar, com o propósito de concorrer no Campeonato do Mundo do desporto adaptado, que decorre de 21 a 31 de Outubro.

Marcio Fernandes vai competir nos 100 metros, lançamento de dardo e disco e Gracelino Barbosa, por sua vez, disputa os 400 metros e salto em comprimento.

Ambos atletas paralímpicos cabo-verdianos arrebataram medalhas de ouro nas últimas competições, sendo Marcio Fernandes o melhor lançador de dardo nos Jogos Africanos de Brazzaville, e Gracelino detentor dos recordes nos 100 metros (11 segundos e 40 centésimos) e salto em comprimento (6,34 metros), mundiais.

Antes da comeptição oficial Gracelino Brabosa deverá realizar a sua classificação na categoria T20, que acontece no dia 18.

A comitiva crioula será composta pelos dois atletas, o treinador Carlos Fernandes e o chefe de missão Orlandinho Mascarenhas.

O Campeonato do Mundo de desportos adaptados é considerado o maior evento para os melhores atletas do mundo e neste ano reune 1300 atletas de 100 países.

A prova serve também de preparação para os Jogos Paralímpicos do Rio2016.

A representante da embaixada do Japão em Senegal, Cabo Verde e Guiné Bissau, Kama Hirose, visitou na tarde desta quarta-feira, 14, a sede do Comité Olímpico Cabo-verdiano (COC), com o propósito de se inteirar do trabalho que esta instituição vem desenvolvendo.

A visita guiada pelo Secretário-geral do COC, Serge Santos e pelo secretário executivo Leonardo Cunha mostrou, à responsável, todas as partes da instalação bem como um esboço de projetos importantes do COC.

Durante a visita Kama Hirose e a presidente do COC, Filomena Fortes tiveram uma conversa breve, que poderá mais tarde resultar em parcerias.

A representante por sua vez mostrou-se interessada pelos projetos do COC e prometeu levar as melhores impressões para os responsáveis do Japão.

A embaixada do Japão em Cabo Verde tem apoiado vários projetos nacionais, e o COC poderá ser mais um beneficiário com a apresentação de projetos promissores.

O Comité Olímpico de Cabo Verde tem estado em frequentes contactos com entidades internacionais de forma a trazer mais condições quer para os nossos atletas, como para o encorajamento de práticas desportivas e formações dentro do programa Olímpico.

Os primeiros eventos desportivos tiveram origem na Antiga Grécia, há mais de 2500 anos a.C.. Olímpia, um santuário, era a sede dos jogos onde os gregos se reuniam e realizavam disputas desportivas com a finalidade de homenagear o deus grego Zeus. O nome Olímpiadas surgiu devido ao santuário de Olímpia.

Os jogos naquela época eram de grande importância, eram durante o acontecimento que muitas cidades inimigas em guerra selavam a paz ou acordos de tréguas. As modalidades eram corrida de cavalo, boxe, atletismo e ganhar uma disputa era sinônimo de consagração na cidade e glória do cidadão livre.

Em 394 d.C. o imperador Teodósio, proibiu todas as festas pagãs. Os eventos desportivos foram considerados pagãs e foram suspensos mesmo estabelecendo tréguas e confraternização entre as cidades.

Os jogos tiveram retorno depois de 1.500 anos depois, devido ao empenho de um pedagogo chamado Pierre de Coubertin. O barão Pierre acreditava e afirmava que o desporto é um fator importante para o desenvolvimento e aperfeiçoamento do ser humano, e propôs uma disputa entre atletas amadores em uma competição de caráter internacional.

Durante o primero congresso Olímpico, organizado por Pierre de Coubertin, na Sorbonne de Paris em 23 de Junho de 1894, foi criado o COI, Comitê Olímpico Internacional e após dois anos Atenas foi sede dos Jogos Olímpicos.

Era Moderna

1986

Sede: Atenas, Grécia
Número de países participantes: 14
Número total de atletas: 124 homens

1900

Sede: Paris, França
Número de países participantes: 24
Número total de atletas: 997, sendo 975 homens e 22 mulheres.
Foi a primeira vez em que mulheres participaram dos jogos, ainda em um numero pequeno. Desportos coletivos como rúgbi, polo aquático e futebol entraram na lista de modalidades dos Jogos Olímpicos.

1904

Sede: Saint Louis, Estados Unidos da América
Número de países participantes: 12
Número total de atletas: 651, sendo 645 homens e 6 mulheres.
O boxe foi introduzido nas Olimpíadas.

1908

Sede: Londres, Inglaterra
Número de países participantes: 22
Número total de atletas: 2.008, sendo 1.971 homens e 37 mulheres
Nesta edição dos jogos, durante a abertura os atletas desfilaram separados por países.

1920

Sede: Antuérpia, Bélgica
Número de países participantes: 29
Número total de atletas: 2.626, sendo 2.561 homens e 65 mulheres
Em 1920 foi criada a bandeira as Olímpiadas com o símbolo: cinco anéis entrelaçados em cinco cores: : azul, amarelo, verde, vermelho e preto e o fundo totalmente branco o que representa a paz e a universalidade dos povos.

1924

Sede: Paris, França
Número de países participantes: 44
Número total de atletas: 3.086, sendo 2.954 homens e 135 mulheres
Nesta edição foi feita a primeira transmissão através dos rádios e houve a primeira Vila Olímpica.

1928

Sede: Amsterdão, Holanda
Número de países participantes: 46
Número total de atletas: 2.883, sendo 2.606 homens e 277 mulheres
Os Jogos olímpicos foi patrocinado pela primeira vez, e o patrocinador oficial da equipa dos EUA foi a Coca-Cola. As atletas mulheres começaram a participar  nasmodalidades: natação e ginástica. 

1932

Sede: Los Angeles, Estados Unidos da América
Número de países participantes: 37
Número total de atletas: 1.332, sendo 1.206 homens e 126 mulheres
A Maria Lenk, atleta brasileira, foi a primeira mulher sul-americana a conseguir subir ao pódio e conquistar uma medalha.

1936

Sede: Berlim, Alemanha
Número de países participantes: 49
Número total de atletas: 3.963, sendo 3.632 homens e 331 mulheres
Pela primeira vez os jogos foram televisionados, mas somente os Alemães puderam ver.
1948

Sede: Londres, Reino Unido
Número de países participantes: 59
Número total de atletas: 4.104, sendo 3.714 homens e 390 mulheres
O basteque masculino conquistou uma medalha de Bronze, a única conquista Brasileira.

1952

Sede: Helsínque, Finlândia
Número de países participantes: 69
Número total de atletas: 4.955, sendo 4.436 homens e 519 mulheres
Foram construídas duas Vilas Olímpicas, uma para os países socialistas e outra para os ocidentais. 

1956

Sede: Melbourne, Austrália
Número de países participantes: 72
Número total de atletas: 3.314, sendo 2.938 homens e 376 mulheres

1960

Sede: Roma, Itália
Número de países participantes: 83
Número total de atletas: 5.338, sendo 4.727 homens e 611 mulheres
Foi criada a Volta olímpica e pela primeira vez os EUA puderam ver as Olímpiadas a distância. As fitas das imagens dos jogos iam de avião e os jogos eram vistos com atraso.

1965

Sede: Tóquio, Japão
Número de países participantes: 93
Número total de atletas: 5.151, sendo 4.473 homens e 678 mulheres
Pela primeira vez a Ásia é sede das Olimpíadas.

1968

Sede: Cidade do México, México
Número de países participantes: 112
Número total de atletas: 5.516, sendo 4.735 homens e 781 mulheres

1972

Sede: Munique, Alemanha
Número de países participantes: 121
Número total de atletas: 7.134, sendo 6.065 homens e 1.059 mulheres
O judô masculino e o atletismo trouxeram uma medalha de bronze cada e o Brasil ocupou o 35º lugar no quadro de medalhas.

1976

Sede: Montreal, Canadá
Número de países participantes: 92
Número total de atletas: 6.084, sendo 4.824 homens e 1.260 mulheres
Atletas foram submetidos ao exame antidoping.

1980

Sede: Moscou, Rússia
Número de países participantes: 80
Número total de atletas: 5.179, sendo 4.064 homens e 1.115 mulheres

1984

Sede: Los Angeles, Estados Unidos da América
Número de países participantes: 140
Número total de atletas: 6.829. sendo 5.263 homens e 1.566 mulheres

1988

Sede: Seul, Coreia do Sul
Número de países participantes: 159
Número total de atletas: 8.391, sendo 6.197 homens e 2.194 mulheres
O destaque foi a estreia da modalidade de tênis de mesa.

1992

Sede: Barcelona, Espanha
Número de países participantes: 169
Número total de atletas: 9.356, sendo 6.652 homens e 2.704 mulheres

1996

Sede: Atlanta, Estados Unidos da América
Número de países participantes: 197
Número total de atletas: 10.318, sendo 6.806 homens e 3.512 mulheres.
O voleibol de praia estreou nesta edição como modalidade desportiva das Olimpíadas.

2000

Sede: Sydney, Austrália
Número de países participantes:
Número total de atletas:10.651, sendo 6.582 homens e 4.069 mulheres

2004

Sede: Atenas, Grécia
Número de países participantes: 201
Número total de atletas: 10.625, sendo 6.296 homens e 4.329 mulheres

2008

Sede: Pequim, China
Número de países participantes: 200
Número total de atletas: 10.942, sendo 6.305 homens e 4.637 mulheres

2012

Sede: Londres, Reino Unido
Número de países participantes:204                                                                                                                                                                 Número total de atletas: 1.500                                                                                                                                                                                     

A Olímpiada está ainda em andamento, pois cada Olimpíada dura quatro anos.

 

Fonte:guiadacarreira.com.br