• PT
  • EN
  • FR

O atleta Olímpico cabo-verdiano, Ruben Sança terminou no passado do domingo em segundo lugar na Baystate Marathon, prova que teve lugar em Lowel, Estados Unidos, país onde reside, com o tempo de 2 horas e 24 minutos.

Uma medalha de prata que segundo Ruben valeu pela experiencia e ajudou a moralizar para o próximo desafio, que será a maratona de Boston.

No final da corrida Ruben, usou as redes sociais para agradecer o apoio de todos os que lhe ajudaram a concretizar esta prova.

O atleta escreveu: “Queria agradecer a todos que vieram me apoiar no #BaystateMarathon em Lowell no último domingo. Eu terminei 2º em 2:24. Foi uma experiência fantástica para correr nas ruas onde eu fiz a maioria do meu treinamento nos últimos 10 anos. Graças a muitos dos voluntários, organizadores de corrida, companheiros de equipe, amigos, famílias, colegas de trabalho e "minha equipe no terreno" que ajudaram na logística de fluidos, incluindo Rossy, Ivory e sua mãe, Kevin, Maggie e sua mãe Meg, Kristin e sua família, Paul, Alfonso, Chris e por último, mas não menos importante, todos meus amigos e famílias, tanto nos EUA quanto no CV, que não conseguiram chegar à corrida. Um grande parabéns ao meu colega de equipa Brandon, que é um dos corredores mais difíceis da região, por ganhar a corrida. Em seguida ... Boston."

Ruben é bolseiro da Solidariedade Olímpica para os Jogos de Tokio2020.

Foto: 

 

 

 

 

O Comité Olímpico Cabo-verdiano estará na ilha do Sal, de 09 a 14 deste mês, a realizar mais uma edição dos workshops em organização de eventos desportivos ligados a equidade de género no desporto, enquadrado no projeto M-Olympics.

Este workshop tem como objetivo empoderar jovens e principalmente mulheres para estarem ativamente no desporto, quer em cargos de liderança como na prática desportiva propriamente dita.

Serão cinco dias de workshop que culminará com uma mega evento desportivo na Praia de Santa Maria, no dia 14, servindo de mostra dos Jogos de Praia Africanos que terão lugar na mesma ilha em 2019.

Uma grande oportunidade para entender a dinâmica que este evento irá levar a ilha do Sal.

As eleições no Comité Olímpico Cabo-verdiano já foram marcadas para 02 de Dezembro de 2017. A decisão saiu da Assembleia Geral extraordinária, realizada no último sábado, na cidade da Praia, e que contou com a presença da maioria dos presidentes das Federações desportivas do país.

A marcação da data bem como a aprovação da comissão de eleições, propostas pelo corpo diretivo do COC, chefiada por Filomena Fortes, foram feitas por votação, tendo a maioria votado a favor, ficando assim calendarizada as eleições.

Este escrutínio que irá nomear um novo corpo diretivo para instituição, terá lugar na sede do COC, com hora a indicar.

Lembre-se de que, Filomena Fortes é presidente do Comité Olímpico Cabo-verdiano desde 2014.

A atleta de judo, Djamila Correia, estará na Croácia, a partir do dia 28 deste mês, para competir no Grand Prix Zagreb.

Djamila Correia, recentemente agraciada com a bolsa da Solidariedade Olímpica para qualificação para os Jogos Olímpicos de Tokio2020, fará a sua participação na categoria -52 kg.

A judoca competiu recentemente no campeonato do mundo por Cabo Verde, mas perdeu no primeiro combate contra a experiente indiana, Kalpenga Dali Thoudam.

Djamila Correia é atleta no Sport Lisboa e Benfica de Portugal e promete o seu melhor nesta competição.

A Camara Municipal de Santa Cruz esteve hoje, 23, reunido com o Comité Olímpico Cabo-verdiano (COC), para inteirar-se do andamento do projeto do centro Olympáfrica, que deverá começar em breve com a fase de edificação, naquele concelho do interior da ilha de Santiago.

Durante a reunião o presidente da edilidade de Santa Cruz, Carlos Silva, mostrou-se satisfeito por saber que o projeto está sendo bem encaminhado.

Segundo o edil " nós vamos desencadear a partir de agora uma campanha de angariação de parceiros, para tornar este centro numa referência em África e útil para a comunidade e para o país.

O centro Olympáfica será um espaço Desportivo e Educativo, financiado pela Fundação Internacional Olympáfrica e pelo Comité Olímpico Cabo-verdiano. Este projeto vai acolher um campo de futebol, uma pista de atletismo, uma biblioteca com um centro de estudos, uma placa multidesportiva e edifícios de apoio.

"O lançamento da primeira-pedra deverá ser feito em outubro deste ano e iremos contar com os responsáveis do Comité Olímpico Cabo-verdiano”, avançou o presidente.

Além de ser um centro desportivo esta infra-estrutura visa criar mecanismos de criação de rendimentos à população envolvente, com diversos projetos já catalogados e ser uma referência na disseminação dos valores olímpicos dentro da mesma.

Lembre-se que Santa Cruz venceu em abril deste ano um concurso aberto pela Fundação Internacional Olympáfrica, através do COC, para a construção deste centro que será o primeiro em Cabo Verde entre os vários em toda a África.