• PT
  • EN
  • FR

O Comité Olímpico Cabo-verdiano estará na ilha do Sal, de 09 a 14 deste mês, a realizar mais uma edição dos workshops em organização de eventos desportivos ligados a equidade de género no desporto, enquadrado no projeto M-Olympics.

Este workshop tem como objetivo empoderar jovens e principalmente mulheres para estarem ativamente no desporto, quer em cargos de liderança como na prática desportiva propriamente dita.

Serão cinco dias de workshop que culminará com uma mega evento desportivo na Praia de Santa Maria, no dia 14, servindo de mostra dos Jogos de Praia Africanos que terão lugar na mesma ilha em 2019.

Uma grande oportunidade para entender a dinâmica que este evento irá levar a ilha do Sal.

A atleta de judo, Djamila Correia, estará na Croácia, a partir do dia 28 deste mês, para competir no Grand Prix Zagreb.

Djamila Correia, recentemente agraciada com a bolsa da Solidariedade Olímpica para qualificação para os Jogos Olímpicos de Tokio2020, fará a sua participação na categoria -52 kg.

A judoca competiu recentemente no campeonato do mundo por Cabo Verde, mas perdeu no primeiro combate contra a experiente indiana, Kalpenga Dali Thoudam.

Djamila Correia é atleta no Sport Lisboa e Benfica de Portugal e promete o seu melhor nesta competição.

A Camara Municipal de Santa Cruz esteve hoje, 23, reunido com o Comité Olímpico Cabo-verdiano (COC), para inteirar-se do andamento do projeto do centro Olympáfrica, que deverá começar em breve com a fase de edificação, naquele concelho do interior da ilha de Santiago.

Durante a reunião o presidente da edilidade de Santa Cruz, Carlos Silva, mostrou-se satisfeito por saber que o projeto está sendo bem encaminhado.

Segundo o edil " nós vamos desencadear a partir de agora uma campanha de angariação de parceiros, para tornar este centro numa referência em África e útil para a comunidade e para o país.

O centro Olympáfica será um espaço Desportivo e Educativo, financiado pela Fundação Internacional Olympáfrica e pelo Comité Olímpico Cabo-verdiano. Este projeto vai acolher um campo de futebol, uma pista de atletismo, uma biblioteca com um centro de estudos, uma placa multidesportiva e edifícios de apoio.

"O lançamento da primeira-pedra deverá ser feito em outubro deste ano e iremos contar com os responsáveis do Comité Olímpico Cabo-verdiano”, avançou o presidente.

Além de ser um centro desportivo esta infra-estrutura visa criar mecanismos de criação de rendimentos à população envolvente, com diversos projetos já catalogados e ser uma referência na disseminação dos valores olímpicos dentro da mesma.

Lembre-se que Santa Cruz venceu em abril deste ano um concurso aberto pela Fundação Internacional Olympáfrica, através do COC, para a construção deste centro que será o primeiro em Cabo Verde entre os vários em toda a África.

 

As eleições no Comité Olímpico Cabo-verdiano já foram marcadas para 02 de Dezembro de 2017. A decisão saiu da Assembleia Geral extraordinária, realizada no último sábado, na cidade da Praia, e que contou com a presença da maioria dos presidentes das Federações desportivas do país.

A marcação da data bem como a aprovação da comissão de eleições, propostas pelo corpo diretivo do COC, chefiada por Filomena Fortes, foram feitas por votação, tendo a maioria votado a favor, ficando assim calendarizada as eleições.

Este escrutínio que irá nomear um novo corpo diretivo para instituição, terá lugar na sede do COC, com hora a indicar.

Lembre-se de que, Filomena Fortes é presidente do Comité Olímpico Cabo-verdiano desde 2014.

O Presidente da recente criada Associação de Treinadores de Futebol de Cabo Verde, Humberto Bettencourt visitou, nesta manha de terça-feira, 22, a sede do Comité Olímpico Cabo-verdiano com vista a apresentar a nova instituição à casa do Olimpismo em Cabo Verde.

Segundo Humberto Bettercourt esta visita serviu para estreitar relações entre as duas intuições.

“Viemos apresentar a constituição da nossa associação à presidente do Comité Olímpico e saber das possibilidades do COC ser nosso parceiro em projetos futuros”, assinalou.

A Associação que há poucas semanas foi criada segundo o presidente já está com treinadores de seis ilhas inscritas e o próximo passo é criar uma base de dados para que haja uma política acertada aos anseios dos treinadores.

Para Bettencourt, “um dos nossos objetivos é formar e capacitar os treinadores, pois ainda só se dispõe da licença C em Cabo Verde, e também lutar para terem mais condições no trabalho que têm feito”.

O Presidente ainda apela a inscrição de todos os treinadores de futebol na Associação para que haja uma noção real dos treinadores a exercer no país, e assim procurar melhores condições para a classe.

Nesta visita a Presidente do Comité Olímpico, Filomena Fortes, deixou mais uma vez aberta as portas da casa, e classificou de forma louvável a iniciativa de se criar uma associação de treinadores de futebol, apelando também às outras modalidades que criem as suas associações.