• PT
  • EN
  • FR

O projeto do Comité Olímpico Cabo-verdiano, M-Olympics, estará na ilha do Maio, a partir da próxima segunda-feira, 22, com o propósito de encorajar e incitar a mudança de perspetiva sobre a equidade do género no Desporto.

Neste âmbito arranca, na próxima segunda-feira, o workshop sobre a organização de eventos desportivos, na sala da Cruz Vermelha, no Porto Inglês, das 17:00 às 21:00 horas, tendo como pano de fundo uma maior participação de mulheres no desporto, dirigido a agentes desportivos, professores e interessados.

Este workshop engloba vários módulos, desde o olimpismo, os benefícios do desporto, a criação de projetos desportivos, até a participação feminina no desporto.

Após dias de formação, os formandos terão a oportunidade de organizar por si mesmos um mega evento desportivo, no estádio municipal da ilha do Maio, no dia 27, pelas 08:00 horas, cuja perspetiva é haver um número equilibrado de meninas e rapazes, praticando diversas modalidades em um só local.

Este é um projeto que irá correr todas as ilhas do país nos próximos meses, sendo que na última edição juntou mais de 1600 crianças em Tarrafal de Santiago, no mega evento desportivo, e o próximo beneficiário será a ilha de São Nicolau.

 

A primeira atleta olímpica de Cabo Verde, Isménia Frederico, é agora parte da rede de formadores locais outreach do programa de apoio aos atletas em final de carreira, (ACP) depois de ter participado no train the trainers, que decorreu na cidade da Praia no passado mês, reunindo atletas de vários países africanos.

A confirmação da boa assistência ao curso chegou nesta terça-feira, por parte do Comité Olímpico Internacional, fazendo com que Isménia Frederico, tenha a competência de liderar os workshops do COI sobre o programa, organizados pelo seu Comité Olímpico Nacional, ou seja pelo COC.

Lembre-se que, no final do mês de Abril Cabo Verde recebeu o II Fórum de Atletas, com o objetivo de ajudar os atletas a delinearem melhor o seu futuro fora das competições, ministrado pelas ex-atletas Olímpicas, Kady Kanouté, Susana Feitor e Cláudia Bokel.

A seguir ao fórum foi realizado, um train the trainers (formação de formadores) com atletas e ex-atletas de vários países da África, como propósito de promover a replicação dos workshops, no qual Isménia foi a representante de Cabo Verde.

Esta iniciativa faz parte dos esforços do Movimento Olímpico para apoiar os atletas e está alinhada com a Agenda Olímpica 2020 e o quadro estratégico da Comissão de Atletas do COI.

O Plano Estratégico do Comité Olímpico Cabo-verdiano (COC), aprovado em Assembleia Geral em Abril de 2016, foi evidenciado pelo Comité Olímpico Internacional (COI), para servir como modelo para os Comités Olímpicos do mundo.

Esta escolha aconteceu durante o Fórum Regional da Solidariedade Olímpica, na Zâmbia, onde o COI teceu grandes elogios ao Plano Estratégico do Comité Olímpico de Cabo Verde, pela forma como vai de encontro aos reais objetivos da organização desportiva mundial, principalmente na divulgação e expansão dos valores olímpicos.

Nesta linha o COI já fez um pedido formal para ter disponível o Plano Estratégico do COC, de forma a orientar os outros Comités na construção dos seus próprios planos.

Para a Presidente do Comité Olímpico Cabo-verdiano, Filomena Fortes, esta é a prova de que Cabo Verde tem feito um trabalho árduo e convincente junto ao COI, no que tange aos objetivos desta organização.

O Comité Olímpico Cabo-verdiano tem desenvolvido projetos a vários níveis, pensando na evolução desportiva e olímpica da sociedade cabo-verdiana, e o reconhecimento por parte da maior organização desportiva mundial, tem sido constante.

O Ministro do Desporto, Fernando Elísio Freire, encontra-se em Djibuti, no âmbito da Assembleia Geral da Associação de Comité Olímpicos Nacionais Africanos (ACNOA), onde será feita mais uma vez a apresentação do plano de Cabo Verde para acolher os Jogos Olímpicos de Praia 2019.

Neste sentido o Ministro teve a oportunidade de conversar mesmo que informalmente com o Presidente do Comité Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, com o Presidente da ACNOA, Lassana Palenfo, com o Delegado do COI, Pierre Miro entre outras personalidades influentes do movimento olímpico.

Com esta presença na Assembleia Geral o Ministro pretende mostrar a abertura do país em acolher este que será o maior evento multi-desportivo africano realizado pela primeira vez.

A apresentação do plano de Cabo Verde será feita hoje, perante representantes de todos os países africanos.

O Comité Olímpico Cabo-verdiano vai organizar neste sábado, 29, a partir das 08:00 horas, um evento desportivo, no Estádio Municipal de Tarrafal de Santiago, enquadrado no projeto M-Olympics, que irá atravessar todas as ilhas do país, promovendo da igualdade de género na participação desportiva, através do empoderamento de jovens lideres desportivos locais.

Este evento surge na sequência de um workshop, que vem decorrendo desde o dia 24 deste mês com 23 jovens do conselho, formando-os para a questão da organização de eventos e construção de projetos desportivos, que favoreçam uma maior participação mulheres.

A atividade deverá levar de 800 a 1000 crianças ao Estádio Municipal para praticar várias modalidades desportivas e entender a importância de haver tanto homens como mulheres no desporto.

O Projeto M-Olympics, financiado pela Solidariedade Olímpica, surge na sequência do Fórum Mulher e Desporto realizado em 25 de Março deste ano, e em continuidade com o projeto “Verdeolympics”, pré-escolhido pelo Comité Olímpico Internacional como exemplo para os outros Comités Olímpicos do mundo, pela utilização do desporto como ferramenta para a preservação ambiental, ao usar materiais reciclados como equipamentos na realização de eventos desportivos.